mãe com crianças brincando de jogar para cima
Empoderamento

Empoderamento feminino e maternidade, é possível?

Tempo de leitura: 6 minutos

Você já ouviu falar na frase: ser mãe é padecer no paraíso? Ela retrata os contrastes sobre o que é ser mãe. A maternidade é um momento significativo, poderoso, porém intrigante, sobretudo, para a mulher.

A mudança no corpo, o crescimento da barriga e a formação de uma vida geralmente chamam muita atenção, mas para a mulher é só o início de um processo de dura a vida toda. Viver na prática o que é ser mãe é um desafio que vem tomando novos formatos e tornando-se cada vez mais questionador.

Junto a tantas mudanças no papel da mulher em sociedade, a maternidade também enfrenta uma evolução. Na época das nossas avós, ser mãe era um curso natural e quase predestinado. Roteiro programado, etapas definidas, rotina “do lar”.

Hoje em dia, as mulheres se veem cada mais mais imersas em questões que envolvem ser mãe e ser mulher, ser mãe e ser profissional, ser mãe e ser tantas outras coisas também.

Esta nova configuração da maternidade traz inúmeros questionamentos. O tal empoderamento da mulher, que é justamente esse protagonismo em relação às próprias escolhas e posturas gera uma pergunta age diretamente na maternidade.   

Enfim, ser mulher empoderada combina com ser mãe?

Dados do IBGE apontam que no Brasil as mulheres estão tendo filhos cada vez mais tarde. Nos anos 90, a média de idade era entre 17 e 21 anos para o primeiro filho, depois de 2010, a média passou de 25 a 29 anos. O que exatamente isso demonstra?

A demora para a tomada de decisão da mulher é reflexo de uma mudança comportamental das últimas gerações. Com tanto acesso à informação, muitas mulheres dão um novo sentido para a maternidade e acabam priorizando seus sonhos pessoais, principalmente, os profissionais. Ponderam as mudanças na rotina e as renúncias necessárias para a criação dos filhos. Esta conjuntura mostra como para ser mãe atualmente envolve um conjunto de perspectivas complexas que atinge diretamente as mulheres.

Como administrar tudo isto com sabedoria?

Ao que tudo indica, o discernimento que rege a melhor fórmula de lidar com todas estas novas demandas é o mesmo que sempre dirigiu as mulheres: a intuição. Aquilo que só o coração pode orientar, as respostas que só o verdadeiro autoconhecimento é capaz de elaborar.

No entanto, é importante ressaltar que o feminismo tem um papel fundamental na maternidade. O que é ser mãe se não ser mulher forte, independente e empoderada que sabe o valor de ser um berço de uma vida?

Ser mãe é uma explosão de feminilidade e um despertar para limites antes nunca imaginado. Então, se você é mãe, acredite no poder que sua maternidade exerce sobre suas escolhas e visões de mundo. Não há nada mais potente do que a dedicação de uma mãe em construir um mundo melhor para que seu filho possa ser feliz.

A resposta para sintonia entre empoderamento feminino e maternidade é o direito de amar e lutar pelos seus pequenos!  

 

Erika Zordan

Jornalista e Produtora de Conteúdo no Clubinho de Ofertas. Mineira de raiz, carioca de coração. Sou apaixonada por histórias e acredito muito no poder de transformação da educação.