pai abraçando filha
Educação

Pais de menina: saiba como conversar sobre menstruação com sua filha

Tempo de leitura: 7 minutos

Mães e pais de meninas passam por situações bastante características do universo feminino. Uma delas é a menstruação, principalmente, a primeira que é chamada de menarca.

O mundo mudou e a forma como lidamos com alguns assuntos também. Antigamente, era comum que pais evitassem algumas situações, não falando sobre elas ou criando formas para driblar o constrangimento.

No entanto, a educação vem se revolucionando e, hoje, é pautada principalmente na ferramenta do diálogo. Por isso, as recomendações dos profissionais de saúde, psicólogos ou pedagogos para assuntos tabus como sexualidade, problemas psicológicos e autoconhecimento seja para serem trabalhados através de uma conversa franca e tranquila. Sendo assim, fale com sua filha sem levantar barreiras e tenha sempre em mente que, acima de tudo, esta é uma questão importante sobre a saúde feminina.

Abra espaço para o aprendizado

Por tudo isso, deixar o caminho aberto como uma referência é primordial. Quero dizer, não basta ser apenas uma emergência que leva o absorvente quando acontece. É preciso preparar a menina para encarar essa mudança com naturalidade e sem nenhuma vergonha. Afinal de contas, a menstruação é só o sinal mais visível de uma imensa transformação corporal. Não é um simples hábito de higiene pessoal mensal, envolve cuidados, decisões importantes e, sobretudo, conforto.

Muitas mulheres encaram a menstruação como um verdadeiro problema. Entretanto, esta é uma realidade comum a todas as mulheres, e uma etapa importante do funcionamento do corpo da mulher. Aprender sobre tudo isso é a melhor forma de tratar o assunto.

Faça parte desta descoberta

Quando as mulheres lidam com a menstruação como algo errado ou vergonhosos, o caminho mais provável é a desinformação. Logo, evite que o assunto tenha uma simbologia vergonhosa ou misteriosa, e de preferência não deixe a internet ser a única fonte de informação.

Lembre-se: não há motivo algum para esse assunto ser temido.

Se você ainda está com dificuldade de vivenciar essa fase na sua família, nossas dicas podem te ajudar.

Procure se informar

Nesses casos, a informação é a melhor ferramenta. Busque saber com fontes seguras quais são as mudanças sofridas pela mulher, como elas podem se cuidar, e quais os melhores produtos disponíveis.

Estabeleça o primeiro contato

Não espere o primeiro fluxo acontecer para ter aquele papo cabeça com sua filha. Observando as mudanças como crescimentos dos seios, surgimento dos pelos pubianos ou dores de cabeça e mamas você vai perceber que esta fase está se aproximando. Nessa hora, fale previamente, explique que todas as mulheres passam por isso e abra o caminho para que você seja a primeira referência quando ela precisar de ajuda.

Aconselhe, indique e respeite

Cada mulher aprende a lidar com seu fluxo menstrual a partir do autoconhecimento. Até porque, elas sentem esse período de maneiras muito diferentes. Algumas passam por muitas dores, outras menos, algumas se sentem extremamente desconfortáveis, outras nem tanto, algumas gostam de absorvente, outras de coletor menstrual ou OB. Sendo assim, mostre todos os caminhos que a sua filha pode seguir e deixe que ela escolha os produtos que mais a agradem.  

Ensine sua filha a observar o próprio corpo

Aprender como seu corpo funciona é essencial para a saúde feminina, principalmente, quando o assunto é menstruação. A normalidade ou a irregularidade do fluxo pode apontar diversas questões sobre o bem-estar do organismo. Por isso é tão importante que você ensine sua filha a dividir as dúvidas ou aflições com você, isso é uma importante forma de proteção.

Fica a dica!

Mães, tentem não falar sobre as experiências ruins com a menstruação, situações constrangedoras ou qualquer outra coisa que possa deixar sua filha insegura.  Pais, não fujam da responsabilidade, vocês também podem bater esse papo e acompanhar esse aprendizado. Na dúvida como funciona,  acompanhe  sua filha no médico, se informe e ouça o que ela tem a dizer.

Para os dois, não se esqueçam que este também é o primeiro caminho para a sexualidade e que esse assunto também merece bastante atenção.

Se você já passou por isso, compartilha com a gente aqui ou em nossas redes sociais.  

Erika Zordan

Jornalista e Produtora de Conteúdo no Clubinho de Ofertas. Mineira de raiz, carioca de coração. Sou apaixonada por histórias e acredito muito no poder de transformação da educação.