família brindando no jantar
Tempo e família

5 reflexões de convivência para sua família

Tempo de leitura: 6 minutos

Rotina? Casa arrumada? Horário de dormir? Todo mundo sabe que depois que uma criança chega em casa, todas essas coisas viram de cabeça para baixo. Aí, é preciso uma nova dinâmica para ajustar tudo. Para isso, um conjunto de regras podem facilitar o dia a dia.  No entanto, cada casa, família e criança tem uma dinâmica única, e não existe uma fórmula mágica que você possa aplicar.  

Então, para que serve este texto?

A ideia deste post é trazer algumas regras de convivência que podem ajudar sua família a entrar em total sintonia. Para isso, leia cada uma das regras pensando em como elas poderiam ser aplicadas na sua casa.

  • Respeite a privacidade de cada um: entre a relação de pais e filhos existe uma linha muito tênue entre a proteção e a invasão de privacidade. É preciso aprender a respeitar os limites mesmo com os filhos. Toda pessoa tem um espaço pessoal a quem devemos todo o respeito. Na dúvida sobre como não ultrapassar esses limites, converse com um psicólogo, eles podem aconselhar sobre até onde ir.
  • Alinhe os horários: As crianças têm a hora do estudo, e os pais a hora do trabalho.  Acaba acontecendo de levar trabalho para casa ou, então, querer dedicar uma hora para um curso novo ou uma leitura. Já pensou em estabelecer o mesmo horário para todas essas atividades? Dessa forma, as brincadeiras das crianças não irão atrapalhar seu momento de concentração.
  • Respeite a personalidade e hábitos de cada um: as pessoas são diferentes e uma boa convivência respeita cada um desses traços. Mesmo que os pais eduquem os filhos baseado em si próprios, é natural que alguns aspectos acabem saindo diferentes. Por isso, tente entendê-los ao invés de anulá-los.   
  • Lide com as crianças de igual para igual: por mais que as crianças ainda estejam caminhando em muito aprendizados, elas não podem ser tratadas com diferencial. Todo ser humano é capaz de ouvir e aprender. Por isso, tente estabelecer uma relação igualitária com eles, não reduza o diálogo ao mínimo. Quanto mais autonomia seus filhos recebem, maior as chances deles consolidarem as responsabilidades.
  • Compartilhe as obrigações: uma casa precisa ser mantida por todos que residem nela. Sendo assim, não concentre as responsabilidades em apenas uma pessoa, inclua as crianças nas atividades mais simples. Isso traz um imenso benefício para os pais e para a educação infantil.

Conviver não é uma tarefa simples, principalmente, dividindo o mesmo espaço. Mesmo em família, é preciso muito respeito, limite e empatia para que o dia a dia seja de paz. Essas cincos reflexões são apenas o começo, mas aqui no Blog do Clubinho de Ofertas têm muitas outras. Que tal começar lendo sobre como as gerações podem conviver com harmonia e equilíbrio?

 

Erika Zordan

Jornalista e Produtora de Conteúdo no Clubinho de Ofertas. Mineira de raiz, carioca de coração. Sou apaixonada por histórias e acredito muito no poder de transformação da educação.