criança brincando com um cachorro
Educação

Adoção de pets: como fazer isso dar certo?

Tempo de leitura: 6 minutos

É muito comum quando as crianças chegam a uma determinada idade elas começarem a pedir pela adoção de um bichinho de estimação. Nessas horas, os pais ficam aflitos porque começam a pensar na possibilidade e tudo que vem à cabeça são os gastos, a organização da casa e do tempo e até mesmo o cuidado com animal que é como um novo filho para a casa.

Todas essas perguntas fazem muito sentido, afinal os adultos sabem como as responsabilidades pesam no dia a dia.

Entretanto, a convivência com um animal de estimação, seja um gato, um cachorro, um pássaro ou um cavalo ensina muito. Inclusive, pode ser até mesmo um remédio para certas dificuldades que surgem no desenvolvimento da criança, mas isso é assunto para outro post. Aqui queremos falar como adotar ajuda na educação infantil e como fazer isso dar certo. Se você passando por essa decisão, este texto é para você.

Uma relação pautada em afeto e responsabilidades

É normal que a adoção na cabeça de uma criança se resuma em: lambidas e correria. Todavia, a relação da infância com um bicho de estimação vai muito além disso. É através dessa relação que muitas crianças aprendem a importância do cuidado, da organização do tempo e até mesmo sobre o amor.

Para os pais a responsabilidade deveria ser o fato primordial para a escolha por um pet.

Eu sei que muitos de vocês devem estar pensando: “aah, mas sempre vai sobrar para mãe fazer.”

É natural que o senso da necessidade vai ficar com o adultos, mas é uma ferramenta que ajuda muito a criança a ir desenvolvendo esta habilidade. Cabe aos pais serem bastante rígidos quanto a isso.

Sem concessão!

A rotina é acordar cedo, tomar café, escovar os dentes e levar o cãozinho para fazer xixi? Então, compromisso é compromisso, principalmente, se foi acordado desde o início.

Para que esse sentimento de responsabilidade pelo bem estar seja dos pequenos é preciso disciplina. Das crianças e dos pais também. Nada de na impaciência fazer para que seja mais rápido. Deveres são deveres e devem ser cumpridos por eles mesmo que você faça melhor e mais rápido. É preciso extrema paciência com o processo de aprendizado das crianças.

Deixe o contrato bem explicado

Seu filho está insistindo na ideia de ter um bichinho? Então tenha uma conversa sincera com ele.

Exponha os motivos que te fazem ter dúvidas e explique o papel da criança para que a adoção seja legal para todos da casa.

Escreva ou desenhe as regras e deixe em algum lugar de fácil acesso para ele. Faça isso antes mesmo de adotar, para que a criança assimile sua nova rotina.

Quando o novo integrante chegar apenas se jogue nesta experiência. Você vai perceber os sinais do amadurecimento afetivo do seu filho. É uma linda trajetória.

E não se esqueça!

Nada de amolecer o coração com o contrato, afinal, o combinado não sai caro!

Você tem uma história de amor com um bichinho? Conta pra gente como foi e o que sua família aprendeu.

Erika Zordan

Jornalista e Produtora de Conteúdo no Clubinho de Ofertas. Mineira de raiz, carioca de coração. Sou apaixonada por histórias e acredito muito no poder de transformação da educação.