Educação

O grande desafio de educar os filhos na era da tecnologia

Cada vez mais cedo, crianças aprendem a usar as tecnologias em um curso simples e natural no seu desenvolvimento. A destreza de uma criança de três anos usando ferramentas digitais, é sobretudo, um traço característico de toda uma geração.

Os chamados Pós-millennials ou Geração Z são todos os nascidos a partir de 1997.

Reconhecer seus atributos comuns e definir suas eras geracionais é muito importante. É uma categorização que permite entender como eles funcionam e vêem o mundo ao redor. O que ajuda, principalmente, os pais.

Como educar seus filhos pós-millennials?

Para explorar mais a formação dessas crianças e adolescentes é necessário balancear as vantagens e desvantagens da convivência diária com a tecnologia.

Desvendar os lados que formam o aprendizado da era moderna, e identificar quais são as flores e as pedras desse caminho.

Infinitas possibilidades

A internet abriu um imenso espaço de perguntas e respostas. Hoje em dia, os primeiros passos do esclarecimento da dúvida estão nas pontas dos dedos.

Educar na atualidade é ser parceiro dos seus filhos na busca por respostas. E, nesse sentido, a sinceridade e o diálogo são ferramentas imprescindíveis.

Ao ensinar qualquer coisa tente se lembrar que, facilmente, ele terá acesso à outras “verdades” e outros argumentos sobre aquele assunto no universo digital.

Para o bem ou para o mal, os resultados sobre qualquer indagação, hoje, está logo ali. O que significa que os pais precisam disputar ser a “referência de sabedoria” com o Google.

A melhor fórmula é buscar descobrir este mundo juntos. Seja a primeira a fonte de informação, mas também a primeira direção para o conhecimento. Permita seu filho apresentar o que consome e vive na esfera digital.

O valor das trocas reais

As principais preocupações dos especialistas com o mundo moderno tem sido o isolamento e a solidão. O uso da tecnologia e o fascínio por um mundo de constante inovação tem feito com que as pessoas se distanciem uma da outra.

E, para uma criança, deixar de experimentar as vivências do mundo real pode ser prejudicial para a formação cognitiva, cultural e de personalidade. Incentivar o equilíbrio desses dois mundos é o papel vital dos pais.

São muitos os reflexos do uso prematuro da tecnologia no desenvolvimento das crianças. No entanto, essa realidade está mais do que consolidada, logo, evitar e proibir não é uma boa alternativa.    

Esteja presente e busque conhecer bem as preferências dos seus filhos. Acompanhar e intermediar é a melhor forma de caminhar juntos para o futuro!

Deixe seu comentário