Cuidado e bem-estar,  Quarentena em casa,  Tempo e família

5 Formas dar mais leveza à rotina com arte

Tempo de leitura: 5 minutos

Como mãe de duas crianças, vivendo o isolamento social há meses, já passei por diversos níveis de estado emocional e inúmeras tentativas de tornar o cotidiano do confinamento algo menos limitante. Claro que estar há meses em casa, sem contato presencial da vida sociais, é difícil! Aliás, longe de mim, romantizar esse momento. Mas se a vida nos dá limão, quem sabe a gente não pode ao menos tirar um caldinho? E foi assim que trazer mais arte pra vida em família tem nos dado um respiro. Espero que essas experiências possam te ajudar também:

Trilhas musicais para a rotina

Quando o dia começa, e não acordamos atropelados pelos afazeres domésticos e pelo trabalho, a primeira coisa que faço é colocar uma música. E até nos dias mais difíceis, vejo que a energia musical ao fundo dá o tom de manhãs menos mau-humoradas. O estado geral da casa melhora. 

Dançar, pesquisar sobre ritmos, mexer o corpo

Normalmente esse “recurso” usamos no fim da tarde. Quando as crianças já estão facilmente irritadas ou entediadas. Fazemos uma mini-sessão de dança com 3 ou 4 músicas bem agitadas. Dançamos em frente ao espelho ou damos risadas juntos sobre o jeito engraçado que cada um inventa de dançar.

Fazer do filme ou da live uma experiência única

Um filme, uma peça ou uma live democraticamente eleita entre a gente, pipoca, luzes apagadas e lá vem cinema em casa. Muitas vezes isso começa a acontecer na quinta e vai até domingo. Sempre um vídeo no início da noite.

Meditar com dança

Muitas crianças têm sentido medos e sensações de ansiedade em função da pandemia. Aqui em casa não é diferente, principalmente com nossa filha mais velha, de 5 anos. Uma das saídas, além de muita conversa, e acolhimento, foram meditações e mentalizações. E no caso das crianças, ficarem sentadinhas de olhos fechados não foi a melhor maneira. Depois do almoço, quando o dia está mais tranquilo, colocamos músicas zen e bem calminhas. Vamos pro quintal e convidamos elas para fecharem os olhos e sentirem as músicas. Dançam beeeem calmamente e deixam fluir os movimento e a respiração. Isso também ajuda na concentração da atenção em outras coisas.   

Fazer exposição em casa

Você não precisa estar presente em todas as produções artísticas das crianças, mas quando der pra sentar junto, pintar, colorir, curta isso. Propor artes colaborativas, temáticas, para expor em casa e até presentear pessoas à distância, pode ser algo bem legal. Sem obrigações, regras, apenas diferentes linguagens visuais produzidas durante esse período de confinamento. Que tal? Isso pode colorir um corredor, uma área da sala ou entregue a um parente ou amigo distante que a família sente saudade. 

Gostou das dicas? Tem mais alguma contribuição ou experiência que tenha dado certo por aí? Comente aqui! Isso pode auxiliar outras famílias a tornarem seus dias menos difíceis.

Luísa Alves

Luísa Alves é criadora do Movimento Fora da Casinha em 2015. Começou divulgando passeios e agenda cultural pela internet, incentivando famílias a ocuparem espaços de lazer em São Paulo. Mãe de duas meninas, sempre atuou na área de materno-infância com o portal Guia Fora da Casinha. Produziu inúmeras encontros, espaços de brincar, passeios e até bloco de carnaval. Hoje Luísa atua fortalecendo mães através do conteúdo, mentorias individuais e círculos de mulheres.