Coronavirus,  Cuidado e bem-estar,  Quarentena em casa,  Sem categoria

Bebês na quarentena, como estar com eles.

Tempo de leitura: 4 minutos

Assim como eu, acredito que muitas pessoas jamais imaginaram que viveriam uma situação tão triste como uma pandemia. Precisamos ficar em nossas casas o máximo de tempo possível, para proteger a saúde de todos e todas. Se você tem um bebê em casa, sei como deve ser difícil inventar inúmeras atividades para que a cria se divirta.

Faz muita falta não poder sair de casa, ir até a praia, levar o Max para brincar no parquinho e, principalmente, a eventos que estimulam a sua criatividade, como os teatrinhos e shows que o Clubinho de Ofertas nos proporciona. Saímos todos os dias para passear, então certamente a nossa rotina foi modificada, já que estamos há quase um mês dentro de casa. 

O bebê sente o que a mãe sente

Precisamos manter a nossa saúde mental, para que não fiquemos ansiosos e os bebês não sintam. Tenha certeza de que o bebê reage a todos os nossos sentimentos: se estamos tristes ou felizes, por exemplo, isto influenciará no comportamento deles. 

Por isso, sugiro que, todos os dias, vocês façam uma atividade diferente. Aqui, já fizemos um bolo, brincamos de bola e com fantoches, por exemplo. O Max brinca diariamente em seu ofurô: a hora do banho é sempre muito divertida. Ainda, estimulamos nosso bebê com músicas e instrumentos diariamente.

Outra sugestão são as lives no instagram. Muitas páginas, como o Justa Causa, traz bate papos interessantes para os papais e as mamães, uma forma de trocar com outras pessoas em um momento em que realmente precisamos nos unir. Quanto aos bebês e crianças, há páginas de contações de histórias, por exemplo. Podemos assim utilizar as redes sociais de uma forma bastante construtiva.

Este difícil período vai passar. Enquanto isso, curta muito o seu bebê e a sua família: aproveite o momento para se conectar mais com as pessoas que você ama.

Roberta Araujo

Advogada e mestranda em Direito. Criadora do Justa Causa (@justa.causa), que busca levar conhecimento jurídico ligado à arte a todas as pessoas. Carioca, feminista, mãe do Max, que ama o cinema e a literatura e luta para vivermos em um país igualitário e livre de preconceitos.