Loading...
Educação

De cabelo em pé com as birras?

bebê sentado com cara de triste

Criança é uma delícia. Brincadeiras, carinhos, descobertas, crescimento, mas existe um pavor em toda a família: as birras. Não existe uma explicação lógica e padrão para este comportamento típico da infância. Entretanto, seu acontecimento causa diversos desconfortos para os pais, do riso à raiva.

Por que as birras acontecem?

Lidar com a birra é algo normal à criação dos filhos, mas é fundamental identificar as raízes do problema para encontrar as melhores ferramentas de enfrentamento das situações.

Muitas vezes a atitude é um reflexo imaturo da criança em lidar com a frustração. De maneira quase incontrolável, a reação exagerada toma conta dos sentidos da criança.

Outra razão que pede atenção é quando se trata de uma ação normalizada que foi ganhando espaço a partir das escolhas educacionais tomadas pelos pais. Neste ponto, a autocrítica no processo de criação dos filhos é um importante instrumento para mudar esse mau hábito. Infelizmente, precisa partir, sobretudo, de uma transformação nas atitudes dos adultos e responsáveis.  

Tomado este primeiro passo, algumas outras dicas podem te ajudar a controlar a situação e mostrar os malefícios deste comportamento para todos. Cada fase da infância requer um método diferente de como lidar com birras, mas trouxemos 3 técnicas que podem aliviar a situação em qualquer idade.

Use estas 3 dicas de como lidar com birras como um começo:

  1. Em primeiro lugar, observe o lugar que você está e entenda os limites da situação. Se for na rua, apenas tente tirar a criança do foco da atenção, leve à um cômodo separado, um banheiro ou até mesmo para casa. Assim que estiverem a sós, demonstre frieza e controle da situação. Não grite de volta, não bata, não demonstre raiva. Olhe a nos olhos e se afirme como quem sabe o que está fazendo e que vocês só sairão dali quando a birra parar. Fique em silêncio, evite explicações, neste momento as emoções estão falando por seu filho, então a plena consciência ficará um pouco afetada.
  2. Promova o diálogo constante como parte da educação. Explique os motivos por não ter cedido à “chantagem”. Escreva, desenhe, mostre vídeos, apenas dê razões concretas que façam sentido para a criança aprender que as pessoas não podem se tratar dessa forma, e que isso é um desrespeito com quem você ama e cuida de você.
  3. Esteja confiante que seu “não” é o caminho certo. Não tente compensar nem agradar de outra forma. As crianças precisam lidar com a frustração e a tristeza como os adultos são obrigados a fazer durante toda a vida. Aceitar que nem tudo vai dar certo é um caminho árduo que começa desde muito cedo.

Dados esses passos, observe a evolução do seu filho em entender o problema, e continue procurando formas de amenizar a situação. Procure saber trabalhar sua paciência, ela é fundamental para ter uma conduta eficiente contras as birras.

No mais, lembre-se que a infância é período que passa muito rápido, e esse comportamento é apenas uma pontinha de tudo que vocês vivem juntos.