mãe com duas filhas fantasiadas de coelhinho
Educação

Páscoa: origem, tradição e modernização

Tempo de leitura: 5 minutos

O ano é marcado pelas festividades e feriados. A primeira grande grande festa é o carnaval e, quarenta dias depois, a Páscoa.

Você sabe o que é comemorado na Páscoa?

A Páscoa é uma comemoração bastante ocidental e cristã. Historiadores apontam que povos da antiguidade, antes mesmo de Cristo, já celebravam a Páscoa, de uma forma um pouco diferente, mas com simbologias familiares. Eles comemoravam a passagem do inverno para a primavera, o que significava a resistência ao inverno rigoroso, ou seja, é como comemorar a sobrevivência.

Já para o Judeus, essa data representa a libertação do povo judeu da escravidão do Egito. Aquela famosa história em que uma multidão atravessou o mar vermelho depois dele ser aberto por Moisés.

No Brasil, a tradição da Páscoa é o reflexo da predominância  católica no país. A festa celebra a ressurreição de Jesus Cristo e é comemorado sempre 40 dias após o carnaval. O feriado marca o fim da Quaresma, período de penitência para os cristãos.

O que essas tradições têm em comum?

Todas as celebrações apontam um novo ciclo, a passagem para uma nova época de esperança e prosperidade.

Com o tempo as tradições religiosas foram ficando em segundo plano, e o comércio ganhou os holofotes. Assim foi dado um outro significado para a Páscoa.

Desde lá da antiguidade, o coelho já era símbolo da fertilidade, nascimento, vida nova. A procriação e a preservação da espécie humana era uma preocupação dos povos mais antigos, e o coelho era um símbolo importante para eles.

Era comum que mulheres trocassem ovos para desejar fertilidade e até mesmo celebrar uma renovação. Esse costume foi apropriado pelo comércio e incentivado a troca de ovos de chocolate entre pessoas queridas.

Sendo assim, ovos e coelhos foram somados à celebração.

Mas e o chocolate?

Os anos passaram, e os símbolos foram sendo adaptados para recriar a tradição. Foi por volta do século XIX, que os ovos começaram a ser recheados de bombons e, posteriormente, feitos pelo mesmo ingrediente.

Infelizmente, os verdadeiros sentidos da Páscoa foram se perdendo com o tempo e, hoje, muitas pessoas, sobretudo as crianças, só se lembram dos ovos de chocolate.

No entanto, a data acende o sinal vermelho para o consumismo e o excesso da ingestão de açúcar. O que torna essencial que as famílias, principalmente os pais, revejam a forma como vivem o costume.

Agora, vamos deixar vocês com uma pulguinha atrás da orelha e, nos próximos posts sobre a tradição da Páscoa falaremos mais sobre esse assunto. Até lá, busque analisar os produtos disponíveis no mercado, as produções artesanais que estão tão em alta e leia mais sobre a festividade. Claro, não esqueça de acompanhar o Blog para darmos um novo olhar para esta festa.

Combinado?

 

Erika Zordan

Jornalista e Produtora de Conteúdo no Clubinho de Ofertas. Mineira de raiz, carioca de coração. Sou apaixonada por histórias e acredito muito no poder de transformação da educação.