criança desenhando e vendo um tablet
Educação

A importância de valorizar a cultura desde a infância

Tempo de leitura: 12 minutos

Você já se perguntou qual é o papel da cultura no desenvolvimento de uma criança? O quanto as referências que encontramos nos meios de comunicação podem modificar a visão de mundo, participando do desenvolvimento intelectual e educacional?

Todo mundo já foi criança e adolescente. No entanto, quando crescemos perdemos um tanto a noção do peso que as nossas referências culturais podem ter em nossas vidas.

Na verdade, elementos que a primeira vista podem soar como mero entretenimento — livros, programas de TV, filmes e histórias em quadrinhos — são parte integral da criação de nossa personalidade, alimentando nossa forma de sentir e conhecer o mundo.

No que se segue, separamos algumas reflexões a respeito da influência da cultura em áreas diversas da vida. Esperamos que esses pontos possam contribuir na valorização dos bens culturais na criação de crianças e adolescentes com grandes referências!

A criação de uma moral

Quando nascemos, não chegamos ao mundo sabendo o que é certo e o que é errado. De fato, são as primeiras relações que a criança tem com seus pais que acabam formulando na mente da criança algumas noções de como é viver.

Aprende-se como comer, que não podemos colocar qualquer coisa na boca, que existem lugares que não podemos ir e que o certo é dormir a noite e ficar acordado de dia.

São apenas alguns exemplos de uma realidade muito mais complexa. O fato é que estamos mais abertos, com os sentidos frescos para conhecer uma realidade imensa e desconhecida.

É por isso que precisamos de algum tipo de referência para nos guiar. A família é a base comum mais fundamental, mas temos também a escola e outros elementos sociais.

Porém, a cultura é pouco discutida e às vezes temos a noção de que é só ligar a TV ou ler algumas revistas e já estaremos “informados” a respeito do mundo.

Para as crianças, é muito importante investir desde cedo na leitura. Livros infantis, por exemplo, são escritos com o intuito de demonstrar preceitos básicos a respeito da vida. Temos desde fábulas e contos clássicos, até livros com novas abordagens para as crianças de hoje.

Se você conversar com uma pessoa que leu livros como “O pequeno Príncipe” na infância ou que conheceu os livros da saudosa Coleção Vagalume na adolescência, vai ver que suas vidas foram marcadas por essas obras.

Filmes para crianças são outras grandes ferramentas para o aprendizado da moral. Algumas obras clássicas da Disney, como Rei Leão, trazem lições profundas dos desafios da vida. Outras, como os filmes do estúdio japonês Ghibli, utilizam a fantasia para ensinar tradição, liberdade e conexão com a natureza.

Nos acostumamos a ver bens culturais apenas como entretenimento. Mas se você parar para pensar e relembrar de sua infância, vai notar que muito de quem é hoje pode ser resgatado dos aprendizados que obteve de bens culturais.

Conscientizar-se disso, possibilita regular e incentivar que crianças e adolescentes obtenham referenciais positivos para suas vidas.

Aprendendo a se expressar

Uma das formas que as crianças aprendem é pela observação e imitação de modelos. É por isso que nas carteiras de cigarro você lê a frase “crianças aprendem a fumar ao verem os adultos fumando”.

Segundo o psicólogo Albert Brandura, é exatamente assim que brincadeiras como “polícia e ladrão” se informam. Então a questão da cultura não é apenas a de criar um senso moral, no sentido de entender o mundo, mas também na maneira de se expressar.

É por meio de bens culturais como programas de TV, jogos e livros, que aprendemos a nos relacionar com os outros. Será que se nunca tivéssemos assistindo um filme ou novela com uma cena romântica nos relacionaríamos do modo como fazemos?

De certo, a criação de referências culturais acontecerá de qualquer forma. Existe toda uma indústria criada justamente para isso. É muito comum, por exemplo, que um adolescente utilize músicas para expressar suas aflições.

Pode ser rock, rap ou eletrônica, por vezes algum cantor ou cantora em algum lugar do mundo vai expressar algo exatamente como você se sente.

O papel dos pais não é doutrinar e controlar absolutamente tudo o que seus filhos consomem. Porém, uma função essencial da paternidade é demonstrar aos filhos que existem muitas opções e deliberadamente influenciar que criem senso crítico e capacidade de decisão.

Prestando atenção nos efeitos das referências culturais

Muitos pais e mães são particularmente atentos aos comportamentos e referências de seus filhos(as). No entanto, por vezes é difícil encontrar um meio termo entre o incentivo e o controle.

Se você deseja entender melhor os efeitos que a cultura tem nas crianças, procure criar consciência do significado que cada referência pode ter no seu desenvolvimento cognitivo.

Brinquedos, por exemplos, são bens culturais. Quando os pais presenteiam meninas com Barbies ou casinhas e meninos com carrinhos ou jogos de montar, estão informando papéis distintos para homens e mulheres e, assim, incentivando a manutenção de uma cultura que separa os papéis de gênero.

Brinquedos como Lego, são referências culturais que incentivam a criar, construir, aumentando a criatividade e a construção, independentemente do gênero da criança.

Da mesma forma, o apreço pela tecnologia e pelos jogos, nos dias de hoje, pode ser aproveitado no desenvolvimento de qualidades cognitivas e de resolução de problemas, um dos pontos salientados pela codeBuddy, para incentivar o aprendizado de áreas relacionadas a TI.

Outra atitude muito interessante para os pais é assistir/ler/jogar com seus filhos, buscando conhecer a relação que está sendo criada com o meio cultural. Assim, é possível dialogar abertamente com os(as) pequenos(as) a respeito dos debates morais que permeiam as obras de ficção.

Lembre-se que todo produto cultural está dizendo algo por trás de seu enredo. Seja um filme de super herói, uma obra da série Harry Potter ou um desenho politicamente correto de um canal educativo.

A cultura cria pessoas inovadoras

O que não podemos deixar de considerar é a importância de incentivar que as crianças tenham acesso a uma multiplicidade de linguagens culturais, para que cresçam reconhecendo que existe mais de uma forma de ver e interagir com o mundo.

Quando temos de enfrentar problemas capazes de mudar a maneira como vivemos em sociedade, é preciso “pensar fora da caixa”, apelar para a criatividade e inovação. Nesses momentos, as obras de ficção, a filosofia, a literatura e até os filmes de super herói nos dão as bases para entender algo muito importante: o que significa ser humano.

 

 

Texto elaborado em parceria com a codeBuddy e escrito por Marlon Wanderllich,  aficionado por tecnologia, decidiu dar aulas de programação para crianças e adolescentes ao voltar de um intercâmbio na França. Com a ajuda de seus dois irmãos, Marcelo e Matheus, e a vontade de preparar os jovens para o futuro, criou a escola de tecnologia codeBuddy